Quinta, 03 Setembro 2015 23:20

Notícias

Written by 
Rate this item
(0 votes)
 
 
 
Diálogos 2015: entrevistas
 
 

Entrevista com Marcia Morenghi Baggio.

marciaMarcia Morenghi Baggio é Gerente de Transformação de Negócios na Syngenta (veja biografia aqui). No seminário Diálogos 2015 estará no Painel Jornada de Mudanças: desafio do profissional de mudanças construindo uma cultura transformadora (veja detalhes da programação aqui).

Marcia Baggio já participou do primeiro seminário Diálogos. Este ano, ela volta para nos detalhar como tem sido o trabalho com Gestão de Mudança Organizacional na Syngenta desde então.

Acompanhe agora a entrevista com Marcia Baggio.

 


 

 

Fale um pouco de sua carreira.
Tenho 25 anos de carreira, graduação em psicologia e em tecnologia de processamento de dados, e MBA em administração. Na Syngenta atuo como gerente de transformação de negócios na área de serviços compartilhados, chamada SBS (Syngenta Business Services). Possuo grande conexão com duas áreas muito importantes: Recursos Humanos e Comunicação. Iniciei na Syngenta em 2013 já nesse cargo, pois era uma área que passava por grandes transformações e muitos projetos ainda estariam por acontecer. Também atuo em alguns programas estratégicos da empresa na América Latina, os quais necessitam de mudança de mind set, cultura, comportamento, formas de trabalho, entre outros.

Quais as melhores estratégias para trazer o engajamento das pessoas na GMO?
Isto depende muito da cultura da empresa e da área onde você está. Em geral, tenho conseguido sucesso através da atuação em grandes projetos de visibilidade. O resultado destes projetos (seja no retorno de investimento, redução de ruído, compreensão sobre a mudança de forma mais rápida) acaba gerando um diferencial que desperta interesse da liderança sobre a importância da GMO e, consequentemente, amplia a atuação dentro da empresa. De uma forma geral, se a empresa já possui maturidade para o tema, as atuações em mudanças ou transformações organizacionais acontecem pela alta gestão, que passa a entender o seu papel como sponsor (patrocinador do projeto), cuidar das pessoas e ser o modelo de comportamento esperado pela mudança. Desta forma, o processo de implementação de GMO torna-se relativamente mais fácil, menos doloroso e mais rápido. Porém, infelizmente, a maioria das empresas ainda não possui este patamar de maturidade e o trabalho de gestão de mudanças entra através de projetos pontuais, acontece pouco a pouco e a atuação de GMO acontece em longo prazo.

Como você avalia a Gestão de Mudanças na Syngenta? O que vocês estão vivenciando nesse momento?
Até o começo desse ano tínhamos uma metodologia própria dentro de casa, feita por uma equipe global, mas que não era muito utilizada na prática. Quando cheguei, começamos aos poucos atuar em projetos com ferramental e templates adicionais que fui desenvolvendo internamento: avaliação de impactos, mapeamento e plano de stakeholders, rede de mudanças etc. Com o passar do tempo, alguns gestores passaram a me procurar para ajudar na avaliação e suporte em gestão de mudanças para projetos mesmo fora da área onde estou alocada. Porém, como temos somente duas pessoas na América Latina com a função específica para GMO, a atuação fica bem limitada. Portanto, focamos em ajudar na elaboração do plano macro de gestão de mudanças e prover treinamento, orientações e suporte para o gestor do projeto ter condições de atuar de forma independente. Se o gestor não conseguir lidar sozinho, auxiliamos na contratação de uma consultoria para ajudar, orientamos o(a) consultor(a) sobre a cultura Syngenta e nossa forma de atuação, além de acompanhar as ações ao longo do projeto.

Sobre sua participação no Seminário Diálogos 2015, quais as novidades que você apresentará aos participantes relacionadas ao desenvolvimento do projeto na Syngenta?
No início deste ano, a empresa comprou globalmente uma metodologia de mercado e o primeiro treinamento foi feito na América Latina em julho. Já treinamos toda a equipe de Recursos Humanos e Comunicação da América Latina, além de líderes-chave e alguns membros de projetos estratégicos da empresa. Porém, os treinamentos ainda estão em andamento e temos a meta de treinar  gestores de mudanças para todos os programas e projetos estratégicos até o final do ano. A divulgação da nova metodologia e os treinamentos deram uma importante alavancagem e foco para este tema dentro da Syngenta, trazendo mais patrocinadores e influenciadores na nossa jornada de implementação de GMO.
O meu sonho é fazer com que as organizações consigam absorver as tratativas de mudanças como parte de sua cultura e das ações do dia a dia dos gestores e dos funcionários. Assim, as empresas estariam preparadas naturalmente para lidar com o mundo atual, em constante mudança. Porém, para chegar neste grau de desenvolvimento, as empresas ainda necessitam e necessitarão por vários anos do suporte de uma área específica de GMO.

 


Leia as entrevistas de outros palestrantes presentes no seminário Diálogos 2015:
Andressa Miiashiro   Veridiana Rotondaro Pereira   Marco Antonio Oliveira
Renan Silva   Eliane Satie   Ana Maria Rossi


Acompanhe também as entrevistas dos palestrantes na edição de 2014 do seminário:
Lyrian Faria   Cláudia Servulo   Herlon Goelzer de Almeida   Aron Zylberman
Fernando Barros de Sá     Gilvan Righetti   Prof.Dr.Luiz A.Stevanato   Catarina Silveira


 

dialogos201516 e 17 de setembro
Club Transatlântico - São Paulo - SP

Saiba tudo sobre o seminário e inscreva-se aqui.

arrow Left

 

Eliane Satie

Read 890 times Last modified on Terça, 08 Setembro 2015 19:28

Latest from Dynamica Consultoria

More in this category: « Notícias Notícias »

Leave a comment

Make sure you enter the (*) required information where indicated. HTML code is not allowed.

Clientes

Parceiros

Desde 2010122188